SUBMISSÃO A DEUS E A SUA DISCIPLINA. POR QUE DEUS DISCIPLINA O SEU POVO?

perdao

“Toda disciplina, com efeito, no momento não parece ser motivo de alegria, mas de tristeza; ao depois, entretanto, produz fruto pacífico aos que têm sido por ela exercitados, fruto de justiça.” (Hb 12.11).

Ninguém, por natureza, gosta de se submeter a outro, não é verdade? É normal do homem querer ser dono de si e viver de acordo com o que o seu coração fala. Então, para começarmos a falar sobre disciplina bíblica, precisamos ter em mente que nós, seres humanos, não estamos aptos ou inclinados à submissão. E utilizaremos agora o uso de três textos que nos ajudarão a fixar melhor.

No livro de Jó, capítulo 11, versículo 12; vemos que o homem nasce com uma natureza rebelde, vã e sem entendimento. Mostrando, esse mesmo homem sendo comparado a um asno montês (jumento selvagem). No Salmo 51, versículos 4 e 5 vemos Davi confessando toda a sua pecaminosidade perante Deus e reconhecendo que o seu pecado (rebeldia), o acompanha desde o momento que foi gerado por sua mãe. Por fim, vemos o apóstolo Paulo, ao falar sobre a justificação, afirmando que não há um justo sequer, pois, todos nós pecamos e carecemos da glória de Deus (Romanos 3).

Mesmo após uma conversão, não há como nos livrarmos dessa rebeldia. Pode até soar de maneira humilhante, porém é o que nos relata as Escrituras. Além disso, podemos enxergar uma necessidade de disciplina e correção feita por Deus.

É importante lembramos que herdamos essa natureza rebelde desde os nossos pais lá no Éden, onde estes se rebelaram contra O Criador, pecando tão somente contra Ele. Sendo assim o grande propósito da submissão a Deus e a sua disciplina é que Ele nos faça sujeitos a Sua vontade, a qual devemos entender ser, boa, perfeita e agradável.

Vamos refleti um pouco na seguinte frase do teólogo A.W. Tozer:

  • Antigamente os hinos diziam Tu és, Tu és, e hoje em dia cantamos Eu sou, Eu sou, Eu posso.

Preocupante? Sim!

Ao lermos essa frase, podemos enxergar o quanto somos rebeldes e não submissos ao nosso Deus, até mesmo o louvor, que tem como intuito render graças ao Pai, tem sido atacado e está cada vez mais glorificando o homem no lugar de glorificar a Deus. Quando tiramos todo o foco do homem, reconhecemos e agradecemos a Deus, nosso Salvador, pela sua obra. Só assim estaremos sujeitos à disciplina e a vontade do Pai.

Mas, para estarmos totalmente sujeitos a Deus precisamos entender e exercer algumas coisas:

Reconhecermos que passamos por tribulações para que Deus nos molde cada vez mais a sua Vontade. O cristão deve ter o entendimento de se manter calado em algumas situações onde Deus prova sua misericórdia e derrama graça em meio às lutas. Um grande exemplo que temos é o Salmo 39 (Emudeci; não abro a minha boca, porquanto tu o fizeste.) Então, devemos entender que um Deus Soberano pode fazer conosco tudo aquilo que for agradável a Ele.

Renunciar completamente a nossa vontade, reconhecendo a sabedoria de Deus para conosco.  Levítico 10.1-3: “Nadabe e Abiú, filhos de Arão, tomaram cada um o seu incensário, e puserem neles fogo, e sobre este, incenso, e trouxeram fogo estranho perante a face do Senhor, o que lhes não ordenara. Então, saiu fogo de diante do Senhor e os consumiu; e morreram perante o Senhor. E falou Moisés a Arão: Isto é o que o Senhor disse: Mostrarei a minha santidade naqueles que se cheguem a mim e serei glorificado diante de todo o povo. Porém Arão se calou”.

Ao lermos esse texto vemos que os dois filhos de Arão levaram um fogo estranho perante o Senhor, ou seja, eles descumpriram aquilo que o Senhor tinha ordenado. Consequentemente, Deus os fulminou por terem desobedecido a Sua ordem. Sabendo que somos pecadores e como consequência, já desobedecemos aquilo que Deus nos ordenou, devemos fazer uma pergunta. Por que Deus ainda não nos fulminou, mesmo nós desobedecendo ao seus mandamentos?  Somente por Sua Graça e misericórdia. Por isso, devemos reconhecer a sabedoria de Deus para com seus filhos, expressada nos Salmos 119: Bem sei eu, ó SENHOR, que os teus juízos são justos, e que segundo a tua fidelidade me afligiste.

“Que a nossa confissão seja: Justo és, ó SENHOR, e retos são os teus juízos.” Salmos 119:137.

“Os inimigos de Deus podem falar sobre a sua injustiça; mas os filhos de Deus devem proclamar a sua justiça. Visto que Deus é bom, Ele não pode fazer nada que é errado e injusto.” A.W.Pink

Ver o cuidado de Deus com os seus filhos.  Um pai que ama seu filho está sempre preocupado em educa-lo e ensina-lo no caminho certo. Assim também é Deus com o seu povo, Ele se preocupa em molda-los, mostrando sempre o melhor. Um grande exemplo está neste versículo: “Foi-me bom ter eu passado pela aflição, para que aprendesse os teus decretos” (Salmos 119.71). Vemos claramente que o salmista percebeu o amor de Deus através da disciplina.

Cumprimento total da vontade de Deus. Um cristão deve ter sempre em mente ao orar aquilo que Jesus Cristo nos ensinou em Mateus 6, ” seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu…”

Como o grande músico Stenio Marcius diz na letra de sua música, Tapeceiro: “No fim das contas tudo se explica, tudo se encaixa, tudo coopera pra o meu bem”.

Que Deus coloque em nós cada vez mais a vontade de nos submetermos a Ele, sabendo que, “todas as coisas cooperam para o bem daqueles que ama a Deus.” (Romanos 8).

“Não permita que sua consciência o faça hesitar, nem que te faça sonhar apaixonadamente com a perfeição. Pois a única perfeição que Deus requer, É o sentir Sua perfeita necessidade.” Joseph Hart

Tiago Silva

Facebook: https://www.facebook.com/tiago.silva.39

Anúncios

3 comentários

  1. As misericórdias do Senhor são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim;
    Novas são cada manhã; grande é a tua fidelidade.
    A minha porção é o Senhor, diz a minha alma; portanto esperarei nele.
    Bom é o Senhor para os que esperam por ele, para a alma que o busca.
    Bom é ter esperança, e aguardar em silêncio a salvação do Senhor.
    Bom é para o homem suportar o jugo na sua mocidade.
    Assente-se solitário e fique em silêncio; porquanto Deus o pôs sobre ele.
    Ponha a sua boca no pó; talvez ainda haja esperança.
    Dê a sua face ao que o fere; farte-se de afronta.
    Pois o Senhor não rejeitará para sempre.
    Pois, ainda que entristeça a alguém, usará de compaixão, segundo a grandeza das suas misericórdias.
    Porque não aflige nem entristece de bom grado aos filhos dos homens.

    Lamentações 3:22-33

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s