HOMENS QUE ORAM

 Imagem

“Quero que os homens orem em todo lugar, levantando mãos santas, sem ódio nem discórdia.” (1 Timóteo 2.8)

A efeminação da cultura vigente infelizmente tem trazido uma série de malefícios para a Igreja. Diversas atividades ministeriais que biblicamente devem ser exercidas por homens são hoje vistas como algo que expressa fragilidade e emocionalismo, sendo portanto, visto como algo feminino. Um exemplo claro disso é a oração. São poucos hoje os ministérios de oração liderados por homens na igreja, o mesmo se dá com a frequência do culto de oração e principalmente na vida diária.

Entretanto, isso é algo que contraria diretamente as atribuições bíblicas de gênero. Ao longo das Escrituras, sempre que observamos a vida dos grandes homens de Deus percebemos que eles eram homens que oravam, que gastavam tempo diante de Deus em oração, clamando não apenas por suas vidas, mas também por suas famílias e nação e principalmente para que o nome de Deus fosse glorificado entre os povos. Muitos desses homens, apesar de serem grandes líderes como Moisés e Josué; reis como Davi e Ezequias; e profetas como Daniel e Jeremias, reconheciam que a sua força não estava na força do braço, mas na oração. Ao fazerem isso, eles deixavam claro a sua fraqueza e expressavam total confiança em Deus, cumprindo o papel de meio de graça que a oração deve ser e apontando diretamente para o exemplo de Jesus. Ele que além de ser o Deus encarnado é também o único homem perfeito que já existiu e orava constantemente e ensinava seus discípulos a fazerem o mesmo. São inúmeros os relatos nos Evangelhos de Jesus deixando tudo o que estava fazendo para gastar tempo à sós com Deus em oração.

Tudo isso já são motivos mais do que suficientes para perceber que de acordo com a Bíblia um homem cristão de verdade deve ser um homem de oração. Ainda assim, Paulo faz questão de lembrar Timóteo acerca disso. No capítulo 2 de 1 Timóteo, do versículo 1 ao 7, Paulo ensina ao jovem pastor uma série de coisas pelas quais os cristãos devem orar, como uma atitude comum a uma vida regenerada. Mas logo em seguida, no versículo 8, ele deixa claro que são os homens em específico que devem se empenhar no ministério de oração, principalmente na oração pública. Uma prova de que essa é atribuição dos homens, é que logo em seguida, o apóstolo começa a falar de outras atividades que devem ser desenvolvidas pelas mulheres, dando a entender que primeiro se dirigiu aos homens e só em seguida a elas. O que me faz crer que Paulo queria salientar bem que embora a oração fosse uma tarefa comum a todos os cristãos, é uma verdadeira atribuição para os homens.

Assim, do mesmo que somos chamados para sermos maridos e pais e para liderarmos, seríamos chamados também à oração, mas a um tipo específico de oração: a oração intercessória por todo tipo de pessoa e pelas autoridades, a fim de que os cristãos pudessem viver em paz e os eleitos viessem a ser salvos. Vejam só o texto:

“Admoesto-te, pois, antes de tudo, que se façam deprecações, orações, intercessões, e ações de graças, por todos os homens; Pelos reis, e por todos os que estão em eminência, para que tenhamos uma vida quieta e sossegada, em toda a piedade e honestidade; Porque isto é bom e agradável diante de Deus nosso Salvador, que quer que todos os homens se salvem, e venham ao conhecimento da verdade.”

1 Timóteo 2:1-4

Ou seja, nós como homens cristãos devemos orar pelos governantes do nosso país, a fim de que leis justas sejam promulgadas e tenhamos o direito de viver em paz e de forma piedosa exercendo a nossa fé. Ao mesmo tempo, devemos orar a Deus pela salvação dos perdidos pois é o propósito de Deus salvá-los. Como isso me motiva e me faz mais uma vez ser grato a Deus por me permitir fazer algo em prol do Seu Reino, algo simples como orar, mas que segundo a própria Palavra de Deus é uma ação poderosa em seus efeitos.

Diariamente ouço relatos de cristãos em diversos lugares do mundo que são proibidos de exercerem sua fé exatamente por causa dos seus governantes ímpios que restringem a sua liberdade e me dói profundamente saber que homens cristãos, irmãos meus sofrem por causa disso, não podendo muitas vezes viver de forma piedosa como nos manda a Palavra. Recentemente me compadeci muito com a história de um jovem homem de 35 anos do Egito. Ele é engenheiro e sonha em um dia poder conseguir um emprego para casar e construir uma família. Entretanto, ele não tinha perspectivas nenhuma de que isso pudesse ocorrer, uma vez que ele é cristão e devido à corrupção do governo islâmico vigente me seu país, todas as principais vagas de emprego são ofertadas apenas a muçulmanos, mesmo que com qualificação inferior. Você já imaginou a frustração desse homem, impedido de viver de forma piedosa aquilo que a Bíblia ensina de que um homem deve trabalhar e formar uma família?

Eu não tenho mais notícias sobre esse jovem, embora mesmo sem conhecê-lo ore por ele. Entretanto, eu sei o que tem acontecido no Egito. A Igreja de Cristo tem se levantado em oração, clamando a Deus 24 horas por dia, 7 dias por semana de forma ininterrupta para que Deus abençoe as lideranças do país e salve os perdidos. O resultado é que Deus depôs o governo islâmico e tem dado inúmeras oportunidades para que o Evangelho seja pregado no país e muitos eleitos têm crido e sido salvos. Esse é o poder da oração!

Imagine se nós, homens cristãos, nos posicionarmos diante de Deus como fez o profeta Isaías (Is 62) e literalmente o “importunássemos” em oração para que Ele fizesse a vontade dEle abençoando nossas nações com líderes justos e tementes a Ele? Creio que muita coisa aqui no Brasil seria diferente. Imagine se nós, homens cristãos clamássemos a Deus para que o Evangelho fosse propagado de tal forma que os 7.000 povos não alcançados escutassem a pregação fiel, se convertessem, a Grande Comissão fosse terminada e Jesus voltasse? Será que Ele não cumpriria a Sua própria Palavra?

Homens, vivemos em momentos críticos da História e não podemos mais permanecer apáticos, negligenciando nosso papel na Igreja e na sociedade. Deus nos chama à oração. Ele quer que sejamos como os homens do Antigo Testamento e como Seu Filho Jesus que clamava a Ele de forma insistente para que Ele cumprisse a Sua Palavra e estendesse o Seu Reino aos confins da Terra. Que seja esse também o nosso clamor. Que não descansemos em oração. Que cumpramos o nosso papel de homens e clamemos a Deus pelas autoridades do nosso país e pela salvação dos perdidos, por aqueles por quem Jesus morreu. Esse é também o nosso papel.

Igor Sabino
https://www.facebook.com/igorhsabino

Anúncios

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s