A POESIA DE ISAAC WATTS

cris

O grupo de louvor da nossa comunidade está estudando (ou melhor, vai começar) o livro “O encanto poético de Isaac Watts”, de Douglas Bond, lançado pela Editora Fiel. Num tempo em que as igrejas não param para entender ou analisar o que estão cantando, dando vazão a todo tipo de erros doutrinários e teológicos, faz-se necessário olhar para os grandes homens do passado e aprender com eles. Isaac Watts (1674-1748) é conhecido como o Pai da Hinódia Inglesa, tendo escrito cerca de 750 hinos, alguns deles em nossos hinários aqui no Brasil.

Gostaria aqui de destacar dois de seus hinos. O primeiro ele escreveu a pedido de sua mãe pois ela havia achado alguns versos de seu filho e, pela profundeza das letras, não acreditava que fossem realmente dele. Então, sentado à mesa, em frente à sua mãe, escreveu um poema com dez versos que formavam um acróstico do seu nome. Colocarei primeiro o original em inglês, para que você perceba o acróstico, em seguida a tradução. Observe a profundidade doutrinária do poema (detalhe, ele tinha sete anos de idade):

I am a vile polluted lump of earth;
So I’ve continued ever since my birth;
Although Jehovah grace does daily give me,
As sure as this monster Satan will deceive me.
Come therefore, Lord, from Satan’s claws relieve me.

Wash me in thy blood, O Christ,
And grace divine impart;
Then search and try the corners of my heart,
That I in all things may be fit to do
Service to Thee, and sing thy praises too.

[Sou um pedaço de terra vil e poluído;
Assim desde o berço tenho permanecido;
Embora Jeová venha graça diária dar,
É certo que Satanás irá me enganar.
Vem, pois, ó Senhor, de suas garras me livrar.

 No teu sangue, ó Cristo, renova-me
E tua graça divina outorga-me.
Sonda, pois, os cantos do meu coração e prova-me,
Que em todas as coisas eu esteja apto a fazer
Serviço a Ti, e também teus louvores render.]

O outro hino é o primeiro citado pelo autor no livro. Ele conta que numa noite de domingo, cantando um música de Watts em sua congregação, num culto de santa ceia, veio sobre ele “o despertar de verdades ouvidas que haviam sido ternamente ensinadas desde minhas primeiras lembranças, o sentimento de admiração pela graça divina, e o sentimento experiencial da realidade da cruz e de Cristo, meu Salvador derramando o seu sangue, sofrendo e morrendo em meu lugar, pelo meu pecado e minha culpa”¹. O hino que o autor do livro cantava era esse:

Quando eu olho a maravilhosa cruz
Na qual o Príncipe da glória morreu ,
Vejo que meus grandes feitos nada são ,
E coloca desprezo sobre todo o meu orgulho .

Proibi-me , Senhor, de gloriar-me ,
Exceto na morte de Cristo, meu Deus!
Todas as coisas vãs que encanta a maioria,
Eu as sacrifico pelo Seu sangue.

Oh a maravilhosa cruz
Oh a maravilhosa cruz
Me manda vir e morrer
E encontro o que eu deva realmente viver

Olhe a sua [de Jesus] cabeça, as mãos, os pés ,
Aflição e amor descem juntas!
Sempre faz tal amor e tristeza encontrar,
Ou espinhos compor tão rica coroa?²

Douglas Bond diz: “Por sua imaginação incomparável, Watts me transportou de volta para o quente e empoeirado Gólgota, onde ouvi a batidas dos martelos sobre os pregos, os insultos e cuspes, os gemidos e gritos de dor. Pelas palavras de Watts, tornei-me o jovem contemplando a maravilhosa cruz. Com os olhos da fé, eu era aquele que via o Príncipe da glória abandonado por seu Pai e morrendo em agonia. E porque eu agora via, estava resoluto a contar como perda todas as minhas aspirações à riqueza e grandeza. Eu estava, pela primeira vez, desprezando todo o meu orgulho delirante do corpo e da mente.”

Muito já se escreveu, nos blogs reformados, sobre a importância da doutrina correta nas músicas entoadas nas igrejas, como também, muitos sermões pregados. Mas quis dar também minha contribução mostrando um pouco da obra desse grande pastor e poeta desconhecido por muitos. Recomendo também a leitura do livro acima citado. Se você faz parte do grupo de louvor de sua comunidade, leve a ela músicas cristocêntricas, que exaltem ao excelso Deus, seus atributos e sua glória. Aprendamos com Issac Watts!

Gustavo Buriti

https://www.facebook.com/gustavo.buriti.1

¹BOND, Douglas. O encanto poético de Isaac Watts. São José dos Campos: Ed. Fiel, 2014. p. 14.

²When I survey the wonderous cross – Isaac Watts.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s